quarta-feira, 26 de julho de 2017

Ao poeta , no dia do escritor
















A poetisa Selma Vasconcelos, pelo seu facebook, homenageia os poetas no seu dia, se bem que todos os dias. ou nem todos, são dos poetas, e sim do ser e de seus sonhos, desta feita  dá no mesmo :o poeta é um sonhador ...e Freud e Clarice estão de mãos dadas.Paulo Vasconcelos


Diz  a poetisa :

....
A psicanálise tem-se ocupado sempre com o mistério do processo criativo do homem através da arte ,particularmente da literatura e, ainda mais,da poesia. A Freud já interessava "em que fontes o poeta se embriaga para criar suas obras".

Considerava o pai da psicanálise que à representação das coisas ( domínio do inconsciente e fase pre´verbal) o poeta teria acesso privilegiado pelo seu talento e sensorialidade especial. O prosseguir desta viagem , a partir do obscuro, deságua na representação das palavras. " A poesia é o desenho das palavras".

É de Clarice , a Lispector, o texto a seguir que bem exemplifica o " sofrimento" da criação:
" minha nascente é obscura..meu pensamento com a enunciação de palavras , mentalmente brotando, é precedido por uma instantânea visão ,sem palavras, do pensamento. ...Eu escrevo por meio de palavras que ocultam outras, as verdadeiras...'as vezes a sensação do pre´-pensar é agônica; é a tortuosa criação que se debate nas trevas e que só se liberta depois de pensar com palavras".

Clarice consegue detalhar com preciosismo ,um processo difícil de vivenciar e ainda mais difícil de explicar! Por esta e outras é que Freud considerava ,e com muita razão , que o poeta fala sem saber, aquilo que ele, Freud, chegava a concluir após muito estudo e reflexaõ ( !)





* Selma Vasconcelos, poetisa paraibana radicada no Recife, com várias obras publicadas, na poesia e crônica no Brasil , no exterior;  pesquisadora de Joao  Cabral de Mello Neto, com obra publicada sobre o mesmo.

Nenhum comentário: